Sim, o lugar o qual nos sentimos bem, onde é a nossa praia, pode ser nosso principal inimigo. É atraente, é gostosinho, mas é muito perigoso.

Perigo pois a rotina pode transformar nossa vida em que? Em rotina, pura e simples. A vida pode ficar sem graça, o ser humano pode ficar sem tesão. Podemos ficar frouxos.

Sim, eu também gosto de me sentir confortável, gosto do que é comum para mim. Porém se você não sai disso, se você não sai dessa zona de conforto ( e eu tenho minhas dúvidas por que se chama zona) você não cresce e se não cresce, perece.

Eu vejo a zona de conforto como um sofá bem gostoso. Ou então como um edredon bem quentinho em dia de frio. Não queremos sair dele de maneira alguma, mas você sabe que uma hora tem que sair, será que esse edredon não virou uma camisa de força em você?

Ninguém comemora por estar na sua zona de conforto, pode até ser gostoso, mas ao mesmo tempo é triste. Você conseguiria ver sempre “ a mesma praça, o mesmo banco”?

Te pergunto, onde estão as verdadeiras oportunidades na sua vida? Dentro ou fora dessa zona?

Na verdade, se pararmos para pensar bem, o bom da vida é correr riscos.

 

Vamos que Vamos, sejá lá onde formos parar.

 

Rafael Barrêto.