Tenho percebido que voltei com os meus textos mais com um ar de desabafo do que com algo técnico para ser aprendido. Acho que estou precisando botar para fora e quem ler será de uma forma ou de outra, meu psicólogo.

Porém quis escrever por perceber que a minha dor é igual a de milhares de pessoas. Então por que não compartilhar aqui? Ano passado tive contato com muitos empresários e a dificuldade em aceitar a derrota ou de se perdoar ao ter errado é tremenda.

Ontem em uma parede toda branca do meu quarto encontrei uma pequena mancha preta. Provavelmente eu tenho metido o pezão sujo lá, mas sempre dá para culpar o meu cachorro Picanha, assim minha esposa não briga. Assim que eu vi aquela mancha já fiquei bravo. Parece novinha, limpinha e agora com um defeito. Porém esse é o problema, não dei valor aos 99% da parede perfeita. Dei valor aquele 1% vagabundo, uma pequena pegada preta, pegada que definitivamente não é do Picanha.

Planejamos nosso dia (se você não planeja, deveria) Executamos muita coisa legal (se você não executa, deveria) e temos ótimos resultados, (se você não tem.. bom você já entendeu) porém quando cometemos uma falha, todos os pontos positivos parecem que desabam junto. É como um pequeno erro (ou grande, tanto faz) fosse uma banana de dinamite explodindo o que você fez de bom aquele dia. O problema que dia após dia isso pode acontecer.

Qual o mal disso tudo? Para evitar o erro você começa a executar menos. Assim Thomas Edison ainda estaria usando uma vela para iluminar a sua sala, Henry Ford chegaria em suas reuniões em seu belíssimo cavalo e você estaria em qualquer lugar menos onde você está hoje.

Certa vez alguém me disse que quando você aprender a rir com seus próprios erros quer dizer que você evolui. Acho que para mim ainda falta um pouco, pois ainda tenho vontade é de me socar. Bom bora, dar uma risada forçada e corrigir toda a bagunça.

Porém, como diria a grande pensadora Patrícia Marx sempre dizia: “Certo ou errado, quem não cai do muro não aprende a se arriscar, não tá com nada ou ou… não tá com nada”

https://www.youtube.com/watch?v=TbJFNQzbRxY

Vamos que Vamos!

Barrêto.