Viciado em celular

A tecnologia ajuda em muita coisa, sem dúvidas.

Hoje, quem consegue viver sem um Smartphone?

Pois bem, esse é o problema!

Se você não consegue viver sem seu celular, pode estar passando por problemas.

E se acha que esse texto é chato pois fala disso, seu problema pode ser crônico.

É  serio!

Esse texto é um pedido de um grande amigo, o professor Reginaldo Onofre, especialista em técnicas de memorização e leitura dinâmica.

Certa vez batendo um papo, ele me contou como esse novo brinquedinho atrapalha nossa mente e me pediu para escrever sobre.

E o pedido do Reginaldo é quase uma ordem, fala sério né Reginaldo?

Ao começar escrever esse texto, lembrei de um teatro que fui há duas semanas.

Ao invés de prestar atenção nos atores, perdi uns bons minutos para achar o melhor ângulo para uma selfie com os ídolos ao fundo.

Resultado, a foto saiu uma bosta e eu perdi algumas piadas.

Está aí a foto para comprovar.

91f3e351-accd-4a9d-8653-e6b920bfbbf1

Então eu te pergunto:

Para que um ser humano gasta dinheiro no teatro, para ao invés de assistir o mesmo, fica tirando foto como estas?

Também não sei exatamente, sério!

Porém, essa foto tem utilidade.

Ela serve para mostrar que existe um problema e que atinge um monte de gente. Inclusive eu, que escrevo agora.



Quase todo mundo está usando o smartphone e claro, que ele veio para nos ajudar.

Porém, as pessoas tem perdido o controle.

É como se os mesmos mandassem em seus donos.

Isso acarreta um monte de coisas, como: ansiedade, perda de produtividade, afastamento de pessoas próximas, etc.

Já tem até um nome para isso:  A Namofobia é um transtorno psicológico ocasionado pelo uso abusivo do celular.

E porque o uso desse aparelhinho se tornou um vício?

A principal causa é o uso de redes sociais.

As pessoas adoram falar de si.

E com tanta social, é só falar de si, mesmo que ninguém queira te ouvir.

Nem precisa ler o que você escreveu, é só deixar um like e pronto.

Ah, mas o like é importante.

Se tiver poucas curtidas, é mais um ponto a favor da depressão.

Nessa onda onde mostrar o que se faz é mais importante do que realmente fazer (como eu fiz na foto acima), as pessoas começam a viver mais a própria rede social.

É como uma segunda vida, onde você pode fazer de conta que não tem problemas e que sua vida é super cool.

O engraçado é: apesar de parecer super descolado na net, seu vício te deixa cada vez mais introvertido e ausente.

Indiferente de quantos amigos tiver no facebook, pode estar cada vez mais sozinho.

Por mais inteligente que pareça ser nas imagens, fica cada vez mais ignorante.

Mesmo com todos os sucessos de sua vida de mentirinha, pode estar colecionando cada vez mais fracassos.

Sim, o texto é forte, mas o problema não fica por menos. Precisamos pensar nisso!

Bom, já que falamos tanto do problema.

Mas agora a ideia é pensar em como mitigá-lo.

Procurando na internet com meu celular de madrugada (brincadeira), achei um Programa de Dependências Tecnológicas do Instituto de Psiquiatria da USP.

Dois pontos interessante que achei:

  • Critérios de dependência de internet ou celular.

Se você se identificar com alguns critérios, fique ligado, pode estar entrando no vício.

(1) Preocupação excessiva com a internet ou celular;
(2) Necessidade de aumentar o tempo conectado (on-line) para ter a mesma satisfação;
(3) Exibir esforços repetidos para diminuir o tempo de uso da internet ou do celular;
(4) Apresentar irritabilidade e/ou depressão quando está sem  fácil acesso aos equipamentos;
(5) Quando o uso de internet/celular é restringido, apresenta instabilidade emocional;
(6) Permanecer mais conectado (on-line) do que o programado;
(7) Interferência no trabalho, relações familiares e sociais em função uso excessivo;
(8) Mentir aos outros a respeito da quantidade de horas de uso.

Fonte: Programa de Dependências Tecnológicas do Instituto de Psiquiatria da USP (tradução e adaptação livre do questionário de Young)

Extraído do endereço: http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2017/05/saiba-se-voce-tem-dependencia-digital-e-onde-procurar-ajuda.html

  • Orientações para controlar seu tempo no celular:

Antes de usar seu celular, tenha:
– consciência: fique atento quanto à frequência e a intensidade de uso (pense antes de usar);
– controle: tente estabelecer períodos de uso (não fique “de bobeira” mexendo no celular como se ele fosse um passatempo);
– acesso: não deixe o telefone de forma que tenha fácil acesso a ele  (quanto menos à mão ele estiver, melhor);
– crítica: lembre-se sempre dos efeitos que podem ser causados pelo uso abusivo (fique esperto);
–  bom senso: quanto mais “tecnologia”, maiores as chances de se desenvolver depressão, anestesia ou engessamento emocional.

Fonte: Programa de Dependências Tecnológicas do Instituto de Psiquiatria da USP

Informação extraída do endereço: http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2017/05/veja-orientacoes-para-nao-ficar-tempo-demais-no-celular.html

É isso.

Agora que você já leu esse artigo, promete deixar o celular de lado e fazer outra coisa?

Mas antes dá um like aí, compartilha, se não eu fico olhando de hora em hora.

Preciso ser um cara legal no Insta pessoal.

ME AJUDA…. brincadeirinha.

Vamos que vamos

Rafael Barrêto

Tags: