Sempre começo meus cursos de marketing com a palavra necessidade pois precisamos suprir a necessidade de nosso cliente e assim o deixar satisfeito. Fácil certo? Tranquilão.

Porém hoje me pergunto, e meus clientes internos…ou melhor..e meus clientes mais internos? Vamos começar com nossa mamãe. Temos suprido a necessidade dela? Temos dado a presença, carinho, afeto necessário? Pergunto isso porque, se nos preocupamos tanto com a satisfação e encantamento de nosso cliente, porque não pensar assim com quem nos gerou a vida? Achamos que nossa mãe sempre precisará de mais e mais carinho. Estamos enganados, ela entende o que podemos fazer, então se encanta fácil. Quer cliente que nos ame mais que nossa mãe? Um simples gesto, as vezes, é o bastante para encantá-la.

Hoje temos um problema social, a começar pela cobrança de fidelidade que mais parece uma utopia. Isso mesmo, não se cobra fidelidade e antes de me julgar, leia o que tenho a dizer sobre o assunto.



Usaremos a definição de fidelidade do dicionário publicitário (www.dicionariopublicitario.net/f.php). Fidelidade é o nível de preferência do consumidor a uma determinada marca ou veículo de comunicação. Se traduzirmos isso para nossa parte social, então fidelidade é a preferência auma determinada pessoa. Sendo assim, o que eu tenho feito para minha namorada ou esposa preferir ficar comigo? Tenho suprido suas necessidades? Aliás, já descobri quais são suas necessidades? Preciso saber o que encanta o meu par e o fazer sempre, assim o “concorrente” não tem chances de ganhar o meu “cliente”. Quando ouço de um amigo…”então, tenho que ir na casa de minha namorada…. Errado. Você deve ter vontade de ir a casa de sua namorada…se realmente TEM que ir…algo está errado. O que fazemos para deixar quem nos ama perto de nós? O encantamos ou apenas o ameaçamos? Olha…se você não estiver aqui as 22:00 você verá o que é bom…

Pense nos velhinhos que vão as compras e bancos todos os dias, precisam de mercadoria? De extratos bancários diariamente? Não…Precisam de afeto, de conversa, por isso vão atrás de caixas de supermercado e atendentes de bancos, suprir uma necessidade humana que nós filhos e netos, por diversas vezes esquecemos, já que chegamos tão cansados em casa e não podemos trocar algumas palavrinhas com quem nos ama incondicionalmente.

Pense nisso. Vamos suprir a necessidade das pessoas que mais nos amam? Filhos, Pais, Avós, cônjuges, irmãos, amigos? As vezes é tão simples…

Eu sei, às vezes esquecemos isso….

Rafael Mateús Barrêto.