Desperte o seu Gigante Interior

Acabei!!!

Demorou, mas acabei o livro.

Anthony Robbins manda muito bem em seu segundo livro, mesmo que muito extenso.

Confesso que no fim do livro estava um pouco cansado.

Mas isso é uma crítica a mim e não ao livro.

O livro é bem longo e fica difícil fazer um breve resumo da obra.

Então, separei apenas algumas partes, as quais achei mais interessantes.

Vamos focar em três partes:

O primeiro é sobre o texto que já fiz referente ao vocabulário transformacional.

As suas palavras podem estar te sabotando. Lembrem-se: palavras tem poder e já que sabemos disso usaremos ao nosso favor, sempre exaltando palavras positivas e diminuindo palavras negativas.



Exemplos:

De legal para MAGNÍFICO (exaltando o positivo);

De Exausto para um pouco cansado (diminuindo o negativo);

Não vou falar mais pois já fiz um texto sobre este assunto.

Para você que já leu, me desculpe, mas amei essa ferramenta.

Acho que foi a ferramenta número 1 de 2016. Se não leu, que bom, clique aqui e veja o texto!

Vamos para a próxima parte então…

Tony Robbins nos explica que tudo o que nós fazemos se deve à nossa necessidade de evitar DOR ou ao nosso desejo de obter PRAZER.

Se você perceber, tudo o que fazemos realmente está atrelado a essas duas palavrinhas.

Você trabalha muito para ganhar mais dinheiro e comprar algo que gosta: PRAZER.

Ou você trabalha muito para não ficar desempregado: DOR.

Então, precisamos saber em que estamos focando…

Por exemplo: ao procrastinar algo que você deveria ter feito, está evitando a dor, mas não deveria está buscando o prazer do resultado desse trabalho feito?
Mudando de alhos para bugalhos, vamos para o ponto mais importante que vi nesse livro.

O que o livro chama de CANI (Constant And Never-ending Improvement), em português fica Constante e Interminável Melhoria.

Pelo que estudei, essa teoria surgiu da metodologia Japonesa chama Kaizen, que significa Mudança para melhor.

Falaremos sobre Kaizen mais pra frente.

Aqui nos atentaremos ao CANI.

O próprio nome já diz tudo: Constante e interminável Melhoria.

Aém nos trazer aquela frase clichê de que não é tão bom que não possa ser melhorado, me recorda que qualquer trabalho pode ser aprimorado com o tempo.

Por isso, a grande sacada é não desistir e continuar no processo de melhoria constante e interminável.

Pensando no blog então, já sabem, não vou parar e tentarei melhorar sempre!!!
É isso pessoal.

O livro é muito bom mesmo, mas se você não tem o costume da leitura, não comece por ele.

É um livro denso e você pode desistir no meio do caminho.

Comece por outros mais simples até pegar gosto pela coisa.

Vamos que Vamos!

Rafael Barrêto