Aproveitei o ano novo para falar de Sonhos.

Cabe bem falar sobre isso nessa época, está todo mundo emocionadinho. É bacana. Por esse motivo tem um monte de gente falando sobre a mesma coisa nessa época. Vasculhando meus rascunhos achei alguns pensamentos que anotei do Augusto Cury em seu seminário este ano e é dessa forma que desejo a todos um feliz natal.

As pessoas sempre te sugerem a segurança, por esse motivo tendem a matar seus sonhos.

Todo projeto tem escolhas e todas as escolhas tem perdas. Quem vence teve riscos antes de sua vitória. Colecionou cicatrizes antes de sua glória. Se você não colecionou fracassos, como você será digno de pódium? Projetos tem a ver com perdas e na maioria das vezes, são solitários. Não há sonhos materializados sem perdas no processo.

O problema é que muita gente confunde sonho com desejo. Uma coisa é você desejar algo. Outra, muito mais poderosa é sonha com algo. Desejos não aceitam lágrimas, já os sonhos se nutrem de momentos amargos. Se você apenas desejar, é bem provável que você se conforme e transforme sua vida em uma rotina. Aí está o perigo. O Conformismo é o cárcere, e a rotina é uma arma apontada para sua cabeça.

Agora se você que sonha, disciplina é vital. Sonhos sem métodos não se transformam em realidade. Se você tiver medo da angústia, do stress, jamais encontrará seu Oasis.

O sonho é uma espécie de combustível, que não determina onde você estará, mas produz a força necessária para te tirar de onde você está.

Então entenda:

Sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas

Disciplina sem sonhos produzem máquinas, não pessoas

Sonhos com disciplina produzem pessoas fantásticas

E aí?

Vamos que vamos ser fantásticos?

Ah, que você sonhe muito nesse próximo ano. E que execute ainda mais.

Rafael Barrêto.