empresarial

Desculpem-me, mas alguns empresários, vendedores e outros profissionais definitivamente não estão sabendo se relacionar. Sabe como eu os chamo? Mendigos corporativos.

Você sabe quem são esses tais mendigos empresairais?

Essas pessoas são aquelas que pedem tudo, cobram, mas não querem dar nada em troca. Só querem, simplesmente, vender seu produto, receber algum benefício, mas estão fechadas a lhe entregar valor algum.

A pergunta que se faz diariamente, quando aparece uma atividade, desafio ou solicitação a sua frente é: “O que eu vou ganhar com isso? ”

E se não percebem nenhum benefício a curto prazo, simplesmente não o fazem.

Quando você vai a uma reunião, café ou almoço com pessoas desse tipo, elas falam apenas do produto e do trabalho delas. Os poucos momentos que você pode falar de você, este tipo de pessoa o interrompe te corrigindo, dizendo que o seu caminho não é o correto.

Tenho certeza que você conhece alguém assim…

Se não conhece, já sabe!

E o que acontece? Você se afasta.

Isso é triste, pois podemos até gostar da pessoa, mas o ser humano precisa de troca. Se tem alguém que só quer receber, você não pode apenas se doar.

Um exemplo disso é quando a pessoa começa a trabalhar com marketing multinível.

Eu acho o marketing multinivel interessante, sim. Não estou criticando, ok?.

Tem muita gente, que fez muito sucesso com o marketing multinível. Porém, sabe trabalhar com o segmento.

Mas também tem aquele marinheiro de primeira viagem que acredita que achou uma fonte inesgotável de dinheiro fácil (dinheiro fácil não existe amiguinho, você tem que trabalhar para receber) e começa a tentar te empurrar seus produtos e marcas.



Você vai almoçar e ele só fala sobre o produto; você o encontra na rua e ele só fala sobre sua oportunidade de negócio; você chama ele para um passeio e ele só fala sobre o quê? Ele te liga e você? É… você nem o atende mais!

Ele, ao invés de se tornar um profissional do multinível, torna-se um multichato!

Dei o exemplo acima, mas conheço pessoas de todos os tipos assim.

Certa vez, um amigo me disse que não gostou da rodada de negócios, que acabara de participar:

– Não gostei, não vendi nada.

– E comprou alguma coisa? Fez algum novo contato? Perguntei.

– Não vim para comprar, vim para vender. Respondeu.

Pergunta: se em uma rodada de negócios, todos estiverem lá para vender e ninguém para comprar, o que acontece? O mais importante de uma rodada é o relacionamento, amiguinho. Esteja lá para se relacionar!

A grande sacada é justamente o contrário. Antes de pedir, tente proporcionar valor. Doe, antes de pedir. Você não tem ideia a força que isso lhe proporcionará. Em terra de pidão, quem dá um pouquinho, é rei!

As pessoas estão cada vez mais carentes de favores, ajude! Sem pensar em nada em troca.

O sentimento de gratidão e parceria lhe renderá tantos frutos a médio e longo prazo, que você nunca terá pensado a curto prazo.

Faço um desafio a você: a partir de agora, você proporcionará valor em suas atividades. Seja para sua família, amigo, cliente, empresa, etc. Só não pode esperar nada em troca. Você perceberá que não esperar nada em troca é a chave para receber muito. Fica fácil…

E por favor, pare de pedir, cobrar e falar só de você e de seus negócios. Além de chato, o resultado que você recebe é o inverso do que você procura.

Ah, estou aqui para fornecer valor a todo mundo que leu esse texto viu? É só me pedir.

Professor Barrêto.