Voltando a falar de fazer o que ama.

 

Sim, já escrevemos sobre isso aqui. Sim ouvimos isso quase todo dia. Sim, também é difícil começar a seguir esse lema. Nem sempre conseguimos viver do que amamos. Tenho certeza que você conhece alguém que ama cantar, mas hoje trabalha em um escritório com alguma burocracia. Alguém que gostaria de viver apenas com a fotografia, mas precisa lecionar para poder manter seu ritmo de vida. Esses são só uns exemplos. Aliás, nós também temos um monte de sonhos, desejos e vontades, muitos deles ficam para segundo plano e após um tempo vem a frustração.

Agora, também fica difícil largarmos tudo e vivermos apenas do nosso sonho, que no início parece estar um tanto quanto distante, por isso que defendo o período de transição, onde você começa a trabalhar com o que ama, mas sem deixar sua fonte de renda atual. Trabalhar em paralelo até que você consiga viver apenas de seu sonho ajuda tanto no pagamento de suas contas, como para reduzir também a sua ansiedade.

Procurando ferramentas para sair do Filosófico “Trabalhe com o que ama e nunca mais precisará trabalhar na vida” para o prático encontrei a lei da Tripla Convergência escrita no livro O óbvio que ignoramos de Jacob Petry.

Jacob defende 3 áreas para você ser realmente bem sucedido na vida. São elas:

Talento: Qual o seu talento?

Paixão: Pelo que você é apaixonado?

Renda: Como gerar renda a partir do que você é bom e apaixonado?

Para variar a renda aparece aqui como consequência de um trabalho muito bem feito por alguém que ama.

Sei que é clichê, mas a maioria das pessoas de sucesso não focaram no dinheiro e sim no desenvolvimento de seus potenciais e o resultado? Muito sucesso, inclusive financeiro.

Então te pergunto:

Você é apaixonado pelo que faz? Tem talento? Se desenvolve? Então a grana chega. Um dia chega!

Vamos que Vamos!

Barrêto.